terça-feira, maio 30, 2006

Perséfone
em português "telefone do persépio"

Nem na Antiguidade parecia haver boa vontade.
Vejam o caso de Caronte, que cobra uma moeda de ouro para com seu barco transportar as recentes almas penadas para lá do Rio Estige. E pontes, não se sabe construir? E realmente, se não se quiser um fantasma a assombrar o nosso mundo, lá terá de se meter uma moeda junto ao corpo do falecido, para que este possa fazer a viagem no barco de Caronte.

Isto tudo para se chegar ao reino de Hades.
Hades era um deus de poucas palavras e seu nome inspirava tanto medo que as pessoas procuravam não pronunciá-lo. Era descrito como austero e impiedoso, insensível a preces ou sacrifícios, intimidativo e distante.
Um bom moço, como se pode imaginar.

Hades, era conhecido como o reino dos mortos ou simplesmente o submundo. Este era um lugar onde imperava a tristeza.
Uma casa aconchegando, segundo parece.

Hoje em dia já ninguém tem respeito. Usa-se o nome de Hades em vão, por tudo e por nada.
E é tão comum ouvir dizer qualquer coisa como “Hades ver que tenho razão” ou “Hades d’arrepender-te, meu grande estupor” (só para dar alguns exemplos).



O Rapto de Proserpina (Perséfone)
por parte de Hades que faria dela sua esposa.
Quadro de Rubens.




0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



referer referrer referers referrers http_referer