segunda-feira, agosto 20, 2007

Lugares sombrios ao sol


Breve vento

Inabalavel, espero moribundo.
Há tempo que lancei em mim o alerta,
Minha mente partiu para parte incerta.
Mais não desço porque já bati no fundo.

À morte entreguei-me já senil,
No dia que me queixei de má sorte.
As laminas que me atacam, são mais de mil
E no fim não há uma unica que me corte.

Saboreio cada segundo de agonia
Decoro a doença e a dor de cada momento
Por saber que se aproxima o esperado dia
Em que serei pouco mais que um breve vento.

Serei cinzas de um incendio deflagrado,
Chama morta de amor não correspondido,
Pedra fria do meu tumulo enfeitado,
Rocha inerte de um qualquer jardim florido.


......................Nelson Gonçalves, 20/08/2007




0 Comments:

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



referer referrer referers referrers http_referer