segunda-feira, julho 10, 2006

Numa máquina do tempo


Por vezes dou comigo a desejar ter uma maquina do tempo. Como seria bom... Não, não digo que seria bom, mas seria interessante, e até certo ponto, um tanto ou quanto um descanso.
Não falo de uma maquina do tempo que dê um salto automático de uma altura para outra, sem que nada se tivesse passado no tempo intermédio, com um corte que seria demasiado radical para se perceber o que quer que fosse.
Falo de uma maquina do tempo especial. Uma que permitisse percorrer o tempo em velocidade acelerada, que desse enfase a todos os episodios marcantes de uma vida, neste caso... a minha.
Uma maquina que permitisse ir acompanhando a minha estadia por cá, e principalmente a das pessoas que me são importantes e que me tocam de alguma maneira no subconsciente.
Assistir as pequenas derrotas das nossas vidas mas, acima de tudo, às enormes vitorias e glórias daqueles com quem tenho tido o prazer de me cruzar e que sei que serão capazes de as alcançar.
Ver como conseguem ganhar asas e atingir metas que estão fora de alcance da maioria dos comuns mortais.
Sim, conheço pessoas que, acredito, conseguirão atingir esses patamares que parecem guardados apenas para alguns pre-destinados.

Sim, acredito que conheço alguns pre-destinados à gloria.
Para saberem que ainda estou cá, neste tempo e nesta realidade, hoje é dia 10 de Julho de 2006. Muitos Parabens, Ana Fonseca e feliz aniversário.




0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



referer referrer referers referrers http_referer